O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta quinta-feira que o Imposto sobre Valor Agregado não pode ficar acima de 20% “em hipótese alguma”.

Falando em evento organizado pela CNI e Febraban, Guedes reafirmou a proposta do governo de taxar em 20% os dividendos e disse que entre as sugestões que estão sendo feitas para a reforma tributária está uma para igualar a base da Contribuição Social sobre Lucro Líquido (CSLL) e do Imposto de Renda.

No evento, que contou com a participação do relator da reforma do IR, deputado Celso Sabino (PSDB-PA), o ministro fez elogios às mudanças feitas pelo parlamentar e destacou aos presentes que o texto será congelado, se estiver errado.

“Estou seguro de que nós vamos avançar”, destacou.

O ministro destacou que o objetivo da reforma é tributar os mais afluentes e desonerar as empresas e os assalariados, “simples como isso”.

Em meio a uma CPI da Covid que tem desgastado o governo, Guedes afirmou que o Senado deve, em algum momento, retornar ao apoio das reformas.

 

(Money Times por Reuters)

Escrito por:

A Recomenda Ações e seu blog preza pela qualidade da informação e atesta a apuração de todo o seu conteúdo produzido pela equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O Blog se faz apenas para fins informativo.