post_2021_05_05_06

O Comitê de Política Monetária (Copom) decidirá nesta quarta-feira (5) o rumo da taxa básica de juros da economia (Selic) para os próximos 45 dias. A portas fechadas, o colegiado do Banco Central deve dar continuidade à normalização da taxa, elevando-a novamente.

Assim como indicado pelo próprio Copom em março, o aumento deve ser de 0,75 ponto percentual, levando a Selic para 3,50%. As pressões inflacionárias dos últimos meses têm começado a incomodar a equipe liderada por Roberto Campos Neto.

A conjuntura mundial fez com que a demanda por commodities fossem elevadas significativamente, impactando a economia local. A alta da Selic deve atenuar esse processo.

“A comunicação desde a última reunião não sugeriu uma mudança de rota. O BC manteve a linguagem geral da reunião de março em entrevistas recentes, incluindo comentários sobre a natureza temporária dos fatores de inflação”, disse o BTG Pactual (BPAC11) em relatório.

Nas últimas semanas, Campos Neto repetiu que o objetivo do colegiado é uma “normalização parcial”, embora o comitê entenda que a meta deve permanecer em território expansionista. Todavia, a tendência é mais cautelosa; ao abandonar o forward guidance (orientação futura), o Copom tem adotado um comportamento mais mais hawkish desde o fim de 2020.

 

O Copom deve aumentar a taxa em ao menos 0,75 ponto percentual, segundo estimativas das seguintes instituições consultadas pelo SUNO Noticias:

  • BTG Pactual;
  • Itaú;
  • Goldman Sachs;
  • Credit Suisse;
  • BNP Paribas;
  • XP.

 

Perspectivas de inflação no radar

Segundo um relatório divulgado pelo Itaú (ITUB4), as projeções de inflação no cenário-base do colegiado do BC, que contempla a taxa de câmbio seguindo a paridade do poder de compra e trajetória da taxa de juros retirada do Boletim Focus, deve ficar em 5% neste ano e 3,5% no ano que vem.

Especialistas do mercado entendem que a normalização da Selic não é um compromisso como era o forward guidance no ano passado, com o comitê procurando cumprir apenas a meta de inflação.

 

Fonte: Suno Notícias

Escrito por:

A Recomenda Ações e seu blog preza pela qualidade da informação e atesta a apuração de todo o seu conteúdo produzido pela equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O Blog se faz apenas para fins informativo.