Conab reduz previsão de safra de café do Brasil com menor volume de arábica

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on google
Share on linkedin
Share on email

A safra de café do Brasil deste ano foi estimada nesta terça-feira em 46,9 milhões de sacas de 60 kg, quase 2 milhões de sacas abaixo da previsão de maio, com uma colheita de grãos arábica menor do que a esperada, de acordo com levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Com isso, a produção total de café do Brasil, incluindo arábica e robusta/conilon, cairá 25,7% na comparação com o recorde de 2020, de mais de 63 milhões de sacas.

Segundo a Conab, a redução se deve ao ciclo de bienalidade negativa do café arábica, que alterna anos de alta e baixa produtividade, e ao impacto da seca.

 

“Além disso, as condições climáticas no início do ciclo foram desfavoráveis, principalmente, com relação às chuvas, ficando abaixo do esperado em várias regiões produtoras”, disse a Conab.

A safra de café arábica no maior produtor e exportador global foi prevista em 30,7 milhões de sacas, ante 33,36 mi sacas na estimativa anterior. Tal previsão sinaliza redução de 36,9% na comparação com o ciclo passado.

De outro lado, a Conab elevou a previsão de safra 2021 de café canéfora (robusta/conilon) do Brasil para 16,15 milhões de sacas, ante 15,44 milhões na projeção de maio. Esse volume representa crescimento de 12,8% ante o ciclo anterior.

 

Segundo a Conab, a área em produção, atualmente estimada em 1,8 milhão de hectares, é 4,4% menor que na safra anterior, também colaborando para a colheita menor.

O terceiro levantamento da safra foi realizado entre agosto e setembro. Na ocasião, a colheita da safra 2021 já estava em fase final de execução.

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on google
Share on linkedin
Share on email

Publicado por:

Erika Santos

Erika Santos