post_2021_06_07_05

A sessão desta segunda-feira (7) teve como destaque a alta das ações da Azul (AZUL4, R$ 47,20, +5,57%), de cerca de 5,5%, após a recomendação da companhia ter sido elevada pelo Bradesco BBI.

Os ativos da Gol (GOLL4, R$ 27,52, +3,93%) também subiram forte após a companhia ter informado na sexta-feira a conclusão da transferência das ações da Smiles que possuía para a subsidiária Gol Linhas Aéreas (GLA).

As ações da Eletrobras (ELET3, R$ 46,38, +1,69%; ELET6, R$ 46,16, +0,87%) também avançaram, apesar de ficarem longe da máxima do dia. Os investidores estavam na expectativa pelos avanços na medida provisória da capitalização da companhia no Senado, com a ideia de que isso pudesse acontecer ainda nesta semana.

Durante a tarde, porém, a equipe da XP Política informou que, sem uma definição sobre as mudanças que serão feitas pelos senadores na MP, a tendência é que a votação do projeto aprovado na Câmara só deve ocorrer na próxima semana, a penúltima antes do texto perder validade, o que ocorre em 22 de junho.

Os ativos da Vale (VALE3, R$ 111,80, -0,97%), por sua vez, abriram em queda de mais de 1% em meio à queda do minério, quase zeraram as perdas, mas não evitaram fechar no negativo.

Já as ações do Pão de Açúcar (PCAR3, R$ 40,05, -4,07%) e do Assaí (ASAI3, R$ 86,74, -1,40%) registraram perdas entre 1% e 4%.

 

Confira os destaques:

 

Gol (GOLL4, R$ 27,52, +3,93%) e Smiles (SMLS3, R$ 22,40, -1,71%)

A Gol informou na última sexta-feira (4) a conclusão da transferência das ações da Smiles que possuía para a subsidiária Gol Linhas Aéreas (GLA).

A Smiles tornou-se controlada direta da GLA e indireta da Gol. A transação faz parte da incorporação da empresa de fidelidade pela companhia aérea, que levará posteriormente à sua saída da Bolsa.

A troca das ações ordinárias dos acionistas da Smiles pelas ações preferenciais da aérea tem a seguinte relação:

44% das ações ordinárias da Smiles (SMLS3) serão trocadas por R$ 5,11 mais 0,6601 ação preferencial da Gol;
56% das ações ordinárias da Smiles (SMLS3) serão trocadas por R$ 18,51 mais 0,1650 ação preferencial da Gol.
Os acionistas da Smiles receberão na quarta-feira (9) 22,4 milhões de ações preferenciais, 25,7 milhões de preferenciais classe B e 33,1 milhões de preferenciais classe C.

As ações emitidas pela Gol representarão um aumento de capital da operadora aérea equivalente a R$ 606,8 milhões. A emissão terá como base a posição acionária da última sexta-feira (4).

A parcela total em dinheiro a que os acionistas da Smiles terão direito será de R$ 744,4 milhões. O valor a ser pago como resgate pelas ações preferenciais das classes B e C emitidas pela Gol na operação.

Conforme destaca a Levante Ideias de Investimentos, a parceria comercial de ambas as companhias vem de longa data e com atuação exclusiva, de modo que a incorporação é um passo natural no relacionamento entre as empresas. “Ademais, esta resolve também questões de governança que foram apontadas por acionistas no passado por conta de desequilíbrio comercial e conflito de interesses nessa parceria. Naturalmente, após o processo, essas questões desaparecerão e será possível, a partir desse momento, analisar os resultados combinados”, apontam os analistas.

Ainda em destaque para a Gol, a aérea comunicou alta na demanda de passageiros em maio na comparação anual. A companhia informou que a demanda do mês sobre igual período do ano passado teve alta 518,6%, já a oferta da empresa disparou 425,4%. A taxa de ocupação Gol em maio foi de 88% contra 74,8% um ano antes.

Frente abril, a demanda por voos da companhia teve alta de 65% e a oferta subiu 55% de acordo com cálculos da Reuters e dados disponibilizados pela empresa. A taxa de ocupação da Gol em abril atingiu 82,8%. A Gol informou que não operou nenhum voo internacional em maio.

 

Azul (AZUL4, R$ 47,20, +5,57%) e Latam Airlines

Ainda no setor aéreo, a Azul teve a recomendação elevada de neutra para outperform (desempenho acima da média) pelo Bradesco BBI, com um novo preço-alvo de R$ 75 para 2022, valor 68% acima do fechamento de sexta-feira (4) e ante o preço-alvo anterior de R$ 38 para 2021. De acordo com os analistas do BBI, as possíveis fusões e aquisições da Azul podem reescrever a história da companhia aérea em até 90 dias.

Os analistas apontam que, em 24 de maio, a Latam Airlines Group e a Azul anunciaram o encerramento de seu acordo de codeshare para voos domésticos no Brasil. Depois deste evento, a Azul confirmou seu interesse para consolidar o mercado doméstico e a Latam Brasil é o alvo potencial de aquisição.

“Em nossa opinião, em até noventa dias, a Azul pode fazer uma proposta para adquirir as operações domésticas da Latam Airlines Brasil. Os credores da Latam podem solicitar que esta alternativa seja incorporada ao plano de reestruturação a ser apresentado nos procedimentos de recuperação judicial até 30 de junho e votado até 23 de agosto”, avaliam os analistas, que veem a fusão entre as companhias como “muito provável”.

Os papéis da Latam Airlines também tiveram a recomendação elevada de underperform (desempenho abaixo da média) para neutra, assim como o preço-alvo foi elevado de US$ 1 para US$ 3.

 

Cosan (CSAN3, R$ 24,91, +1,26%)

A Raízen informou que negocia com a Shell uma ampliação das operações conjuntas, com a aquisição da totalidade do negócio de lubrificantes da Shell no Brasil.

Em fato relevante enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a empresa lembra que desde 2011, a Raízen Combustíveis, joint venture formada entre a Cosan e a Shell, atua como agente exclusivo de venda de lubrificantes da marca Shell, com base no contrato firmado por dez anos entre a Raízen e a Shell Brasil Petróleo.

“Com o vencimento deste contrato de agenciamento, Raízen e Shell negociaram uma ampliação do escopo do relacionamento mantido até o momento, com a aquisição da totalidade do negócio de lubrificantes da Shell no Brasil pela Raízen”, afirma.

A operação inclui a planta de mistura de lubrificantes localizada na Ilha do Governador e a base de Duque de Caxias, no Rio de Janeiro, assim como a cadeia de distribuição e seus respectivos contratos.

A empresa lembra que o fechamento da operação está sujeito à aprovação pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), bem como ao cumprimento de outras condições suspensivas.

 

Embraer (EMBR3, R$ 17,48, +1,27%)

A Eve Urban Air Mobility, empresa independente da Embraer, e a Helisul Aviation anunciaram uma parceria que terá foco em criar uma estratégia de preparação do ecossistema de Mobilidade Aérea Urbana (UAM, em inglês) no Brasil. Além da colaboração no desenvolvimento de produtos e serviços, a parceria inclui um pedido de até 50 eVTOLs com entregas previstas para começar em 2026.

Em comunicado, a Embraer destaca que, nos últimos anos, Eve e Helisul têm colaborado para criar em conjunto soluções de Mobilidade Aérea Urbana, aproveitando a infraestrutura de táxi aéreo existente no Brasil – uma das maiores do mundo – para o uso por veículos elétricos de decolagem e pouso vertical (eVTOL) da Eve.

“Esta parceria com a Eve é motivo de muita satisfação para a Helisul. A Eve consegue antecipar as necessidades do mercado e a Helisul pretende seguir os seus passos lado a lado. Com as cidades cada vez maiores e o trânsito mais e mais congestionado, nossa parceria para construir soluções e práticas inteligentes para a mobilidade aérea vai melhorar a qualidade de vida nas grandes cidades, reduzindo a poluição e o tempo de deslocamento das pessoas, com uma opção
de transporte porta a porta”, disse Luis Carlos Munhoz da Rocha, Diretor Comercial da Helisul Aviation.

 

Vale (VALE3, R$ 111,80, -0,97%) e minério de ferro

Os preços do minério de ferro recuaram nesta segunda-feira, após dados comerciais moderados sobre a China e menores margens de lucros em siderúrgicas reduziram o entusiasmo do mercado sobre as perspectivas de demanda pelo material usado na fabricação do aço.

A China, que responde por mais de metade da produção global de aço, importou 89,79 milhões de toneladas de minério de ferro no mês passado, substancialmente menos que os 98,57 milhões de abril e das 102,11 milhões de toneladas de março.

Os dados também mostraram que as exportações de aço da China em maio recuaram 33,9% frente ao mês anterior, para 5,27 milhões de toneladas.

O contrato mais negociado do minério de ferro na bolsa de commodities de Dalian DCIOcv1, na China, fechou o pregão diurno com queda de 4,4%, a 1.118 iuanes (US$ 174,76) por tonelada.

“A acentuada queda nos preços do aço… levou a uma significativa queda nos lucros das usinas siderúrgicas”, disseram analistas da Sinosteel Futures em nota.

A demanda por aço na China também desacelerou, causando uma “grande volatilidade de curto prazo no mercado”, acrescentaram.

 

Petrobras (PETR3, R$ 28,72, -0,73%; PETR4, R$ 28,29, -0,74%)

A Petrobras iniciará no próximo dia 15 de agosto uma parada programada de 30 dias para manutenção da plataforma de Mexilhão e do gasoduto Rota 1, que escoa o gás natural produzido pelo ativo e por outras plataformas na Bacia de Santos, informou a empresa na sexta-feira.

Segundo comunicado, a intervenção foi planejada com vários meses de antecedência, considerando a complexidade da operação e a necessidade de contratação de bens e serviços. A Petrobras disse ter comunicado a parada programada à Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) em outubro de 2020.

“A parada possibilitará a manutenção preventiva e a realização de melhorias nas instalações, garantindo a continuidade e a segurança nas operações de escoamento e fornecimento de gás natural”, afirmou a petroleira, acrescentando que a operação não pode ser adiada por visar à segurança operacional e ao cumprimento de prazos normativos.

Para mitigar os impactos ao fornecimento de gás natural, a Petrobras anunciou a ampliação da capacidade do Terminal de Regaseificação da Baía de Guanabara, de 20 milhões para 30 milhões de metros cúbicos por dia, além do reposicionamento de um navio regaseificador na Bahia.

Também haverá a negociação de um novo contrato interruptível de incremento temporário da importação de gás da Bolívia.

“Como medida adicional, a Petrobras irá conciliar a manutenção da plataforma de Mexilhão e do gasoduto Rota 1 às paradas programadas de usinas termelétricas próprias e de terceiros, reduzindo assim a demanda por gás natural dessas térmicas no período da parada e aumentando sua disponibilidade de geração no restante do período seco”, afirmou a companhia.

A Petrobras disse ainda ter articulado o período de manutenção dos ativos com o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) para reduzir os impactos ao setor, em momento em que o Brasil passa por uma crise hídrica e amplia a utilização de térmicas para geração de energia.

 

Eletrobras (ELET3, R$ 46,38, +1,69%; ELET6, R$ 46,16, +0,87%)

A expectativa na semana é para avanços na medida provisória da capitalização da Eletrobras no Senado. O governo trabalha para conseguir votá-la ainda nesta semana, até quinta-feira, para que haja tempo hábil de a Câmara confirmar ou rejeitar as alterações promovidas, o que precisa ser feito até o dia 22 de junho, último dia de validade do texto.

Apesar disso, a equipe da XP Política informou que, sem uma definição sobre as mudanças que serão feitas pelos senadores na MP, a tendência é que a votação do projeto aprovado na Câmara só deve ocorrer na próxima semana, a penúltima antes do texto perder validade, o que ocorre em 22 de junho.

Os analistas apontaram que o governo não pretende patrocinar mudanças na proposta, mas avalia que os senadores querem “deixar sua marca” no texto – um dos principais pontos de crítica, por enquanto, é o da exigência de contratação de térmicas a gás, mas as mudanças podem não se restringir a ele.

O relator, Marcos Rogério, discutiu possíveis alterações com Elmar Nascimento, que relatou o texto na Câmara, para evitar resistências às mudanças aprovadas pelo Senado. Com as mudanças defendidas pelos senadores, o cenário segue o de aprovação da proposta.

 

Biosev

A companhia de açúcar, etanol e bioenergia Biosev encerrou a safra 2020/21 com lucro líquido de R$ 216,4 milhões, revertendo o prejuízo de R$ 1,5 bilhão da temporada anterior, impulsionada por um cenário favorável de mercado e bom desempenho produtivo, informou a empresa nesta sexta-feira.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado teve um crescimento de 40,1% no período, para R$ 2,5 bilhões. O resultado exclui os efeitos contábeis (não caixa) do hedge accounting da dívida em moeda estrangeira (HACC).

A moagem de cana da Biosev ficou em 26,5 milhões de toneladas, queda de 1,9% em relação à temporada anterior. “Essa diminuição decorreu principalmente da decisão de postergar o início da safra em março, já que o clima mais seco na região resultou em um desenvolvimento mais lento do canavial”, disse a companhia em balanço financeiro.

Segundo a empresa, 52,7% da matéria-prima foi destinada para a produção de açúcar, um avanço de 18 pontos percentuais.

Com isso, a produção do adoçante saltou 63%, para 1,89 milhão de toneladas em 2020/21, enquanto a fabricação de etanol caiu 22%, para 1,05 bilhão de litros.

A receita líquida do açúcar disparou 136,9% na temporada, para R$ 3,6 bilhões. Além do aumento na produção e no volume comercializado, a companhia destacou que a desvalorização cambial aumentou a competitividade do adoçante no mercado externo, resultando em preços médios mais elevados.

Os investimentos da companhia somaram R$ 1,4 bilhão na temporada, alta de 16% na variação anual.

 

Dimed (PNVL3, R$ 21,41, +1,04%)

A Dimed, controladora da Panvel, informou em fato relevante ao mercado ter comunicado que apresentou à B3 na sexta-feira pedido de migração das ações de emissão da Companhia para negociação no segmento especial de listagem da B3 denominado “Novo Mercado”.

A Companhia manterá seus acionistas e o mercado informados sobre quaisquer desenvolvimentos
relevantes a respeito do referido pedido de migração.

 

Orizon (ORVR3, R$ 26,71, -0,26%)

Em 1º de junho, o Credit Suisse realizou uma reunião em grupo com o CEO da Orizon, Milton Pilão, com o CFO, Leonardo Santos, e com a equipe de relações com investidores para atualizar sua tese de investimentos na Orizon, oportunidades de crescimento e resultados.

Pilão falou sobre a atualização da gestão de resíduos pela empresa, como forma de se adaptar a mudanças na legislação. A gestão também falou sobre a proposta de compra de aterros da Estre. Como foi a primeira a fazer uma oferta, a empresa está bem posicionada para potencialmente vencer o leilão dos ativos.

O Credit vê com bons olhos os movimentos da Orizon para aumentar seu portfólio de aterros e de melhorá-los de forma a criar valor para a empresa. Assim, o banco mantém uma visão positiva sobre a empresa, e reitera que a compra dos ativos da Estre podem gerar valor para a empresa.

O banco mantém avaliação outperform e preço-alvo de R$ 29,3, frente aos R$ 26,78 negociados na sexta.

 

NotreDame Intermédica (GNDI3, R$ 86,70, +0,70%)

A Notre Dame comunicou ao mercado que concluiu a compra em 4 de junho de 100% das ações do Centro Clínico Gaúcho, em uma transação de “R$ 1,06 bilhão, pago à vista, em dinheiro, descontados o endividamento líquido e uma parcela retida para contingências”.

OCentro Clínico Gaúcho conta com uma rede própria que inclui 20 centros clínicos, 13 unidades de análises clínicas e o Hospital Humaniza. No ano passado, o faturamento líquido consolidado foi de R$ 371 milhões.

 

PagSeguro (NYSE: PAGS)

O Itaú BBA comentou a estratégia do Itaú BBA para o setor de pequenas e médias empresas. O banco mantém uma visão otimista e elevou sua avaliação de neutra para outperform, subindo o preço-alvo para 2021 a US$ 65, frente aos US$ 51,89 de fechamento na sexta dos papéis PAGS na Bolsa de Nova York.

 

Itaú Unibanco (ITUB4, R$ 33,04, +2,35%)

O Morgan Stanley participou do dia do investidor do Itaú Unibanco na semana passada. O Morgan Stanley diz avaliar que o Itaú está à frente de outros bancos no processo de ajustar seu modelo de negócios para concorrer com as fintechs. O banco reitera sua avaliação overweight (exposição acima da média do mercado) para os ADRs ITUB negociados na Bolsa de Nova York, que são sua top pick (ação favorita) entre grandes bancos. O preço-alvo fica em US$ 7,5, frente aos US$ 6,34 negociados na sexta na Bolsa de Nova York.

O banco diz que a estratégia do Itaú e suas capacidades operacionais representam uma vantagem competitiva, e que o banco está trabalhando para manter sua liderança no Brasil. Assim, o banco está bem posicionado para se beneficiar do período de crescimento do crédito no país, impulsionado pela combinação de juros baixos e demanda reprimida por empréstimos.

O banco diz ver espaço para uma alta surpreendente da margem líquida de juros, já que o mercado tem, em sua avaliação, uma visão excessivamente pessimista quanto à concorrência de fintechs, e não considera a liquidez atual, melhora do mix de créditos e a sensibilidade dos ativos.

O Morgan Stanley também afirma estar otimista quanto a mudanças culturais e iniciativas focadas em eficiência, com o Itaú reduzindo a diferença em relação a fintechs por meio de soluções digitais, experiência do usuário, amplitude de produtos e precificação. Também ressalta redução de custos com a racionalização de agências bancárias, que deve contribuir para melhorar os custos operacionais com a retomada das receitas.

 

Hapvida (HAPV3, R$ 15,80, +0,77%), Grupo Notre Dame (GNDI3, R$ 86,70, +0,70%) e Odontoprev (ODPV3, R$ 12,86, -0,08%)

O Morgan Stanley atualizou os seus modelos para Notre Dame e Hapvida após a divulgação dos resultados do primeiro trimestre. Assim, o banco incluiu os termos finais de fusão das empresas, e a perspectiva de um ano mais difícil, já que o setor médico pode enfrentar um impacto da pandemia de Covid-19 pior do que o esperado. Além disso, os preços podem ser pouco atrativos devido ao mix de produtos e reduções de preços para planos individuais, o que pode reduzir o Ebitda no ano fiscal de 2021 para empresas do setor médico.

A normalização de procedimentos eletivos tem aumentado a utilização de serviços médicos, como leitos de UTI e exames laboratoriais, elevando os preços de suprimentos médicos, o que pode levar a redução de 12% no Ebitda da Hapvida e de 29% no do Notre Dame no ano fiscal de 2021, comparado com o ano fiscal anterior.

Além disso, a Odontoprev enfrenta uma base comparativa difícil no segundo trimestre, de forma que o Ebitda deve cair 5%, na avaliação do Morgan Stanley.

O banco estima uma geração de R$ 32 bilhões em valor com a fusão de Hapvida e Notre Dame, frente à estimativa anterior de R$ 44 bilhões. O banco reconhece um momento fraco de rendimento, e falta de comunicação clara sobre potenciais sinergias, o que poderia impedir uma reavaliação das empresas no curto prazo.

O Ebitda foi reduzido em 17% para a Hapvida, e 39% para o Notre Dame. Para a Odontoprev, elevou o Ebitda em 11% para o ano fiscal de 2021, devido a um primeiro trimestre melhor do que o esperado, e a uma utilização no segundo trimestre potencialmente menor do que o esperado anteriormente.

O banco continua a dar preferência ao setor médico em detrimento do odontológico, e mantém avaliação overweight para a Hapvida e Notre Dame, com preço-alvo de R$ 19,7 para a primeira, frente aos R$ 15,78 de fechamento na sexta, e R$ 110,4 para o segundo, frente aos R$ 86,1 de fechamento na sexta. O banco vê percalços quanto a receita e margem para a Odontoprev, para a qual mantém avaliação equal weight e preço-alvo de R$ 15, frente a R$ 15,87 de fechamento na sexta.

 

Elétricas

O Morgan Stanley diz esperar uma combinação entre altos preços e alto déficit hídrico em 2021 no Brasil, mas sem racionamento de energia. Esse cenário é negativo para geradores de energia hídrica, já que eles precisarão comprar energia no mercado para cumprir com as exigências contratuais, em especial aqueles com grandes contratos.

Setores mais expostos aos segmentos de transmissão e distribuição de energia devem ser os mais protegidos, enquanto que as empresas mais expostas à geração de energia hidrelétrica devem ser as mais negativamente impactadas. Neste contexto, o banco diz acreditar que as empresas melhor posicionadas no setor são Engie, Equatorial, Cteep e Alupar, todas com recomendação overweight.

As geradoras Cesp e AES Brasil devem ser as mais negativamente afetadas. A Cesp tem avaliação overweight, e a AES, underweight (expectativa de valorização abaixo da média do mercado). O banco ressalta que a valoração da Cesp é atrativa o suficiente para compensar os riscos, mas diz avaliar que os papéis não devem ter catalisadores para seu valor no curto prazo. Além disso, o banco também avalia que a crise hídrica não deve ter impacto sobre a perspectiva de privatização da Eletrobras.

 

São Martinho (SMTO3, R$ 35,68, -0,47%)

O Bradesco BBI comentou a redução da estimativa pela ISO (sigla em inglês para Organização Internacional do Açúcar) sobre o deficit do produto na atual temporada de colheita de 2020 e 2021, entre outubro e setembro, de 4,782 milhões de toneladas para 3,142 milhões de toneladas. Para a temporada de 2021 e 2022, que se inicia em outubro, a organização projeta um deficit de 2,674 milhões de toneladas, mas enfatiza que há muita incerteza em torno do número, em especial no que diz respeito à produção.

O banco afirma que a projeção traz uma perspectiva de valorização para a produtora de açúcar São Martinho, para a qual mantém avaliação outperform e preço-alvo de R$ 41.

 

Banco Inter (BIDI11, R$ 63,78, -3,71%)

O Banco Inter comunicou nesta segunda-feira que escolheu os bancos para coordenar potencial oferta pública primária de units, a R$ 57,84 cada, bem como convocou assembleia para elevar capital autorizado em R$ 7 bilhões.

O banco digital afirmou que está avaliando realizar uma potencial oferta pública primária(follow-on) de units e de ações ordinárias e preferenciais, no valor fixado de R$ 19,28 por ação ON e PN e R$ 57,84 por unit.

De acordo com fato relevante à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), foram escolhidos como coordenadores da potencial oferta, Bradesco BBI, BTG Pactual, Bank of America, Itaú BBA, JPMorgan e UBS Brasil.

O Inter também disse que administração convocou assembleia geral extraordinária para o dia 24 de junho para aprovar aumento do capital autorizado, dos atuais R$ 5 bilhões para R$ 12 bilhões.

Também reiterou que a potencial oferta deverá contar com compromisso da StoneCo de subscrever ações ordinárias e/ou units correspondentes à participação acionária de até 4,99% do capital social total do Inter, limitado a um valor do investimento de 2,5 bilhões de reais.

 

(com Reuters e Estadão Conteúdo)

Escrito por:

A Recomenda Ações e seu blog preza pela qualidade da informação e atesta a apuração de todo o seu conteúdo produzido pela equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O Blog se faz apenas para fins informativo.